18.9 C
Gaspar
16/10/2121

Enfermeira de São Paulo é primeira brasileira vacinada contra covid-19

Logo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado o uso emergencial da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, o governo paulista aplicou a primeira dose no país. 

A primeira pessoa vacinada fora dos estudos clínicos foi Mônica Calazans, de 54 anos, enfermeira, negra e moradora da zona leste da capital. Ela, que atua na linha de frente contra a covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, foi vacinada no fim da tarde no Instituto Butantan. Até então, as únicas pessoas do país que haviam tomado a vacina faziam parte dos testes clínicos.

Mônica tem perfil de alto risco para a covid-19. Além de trabalhar diretamente na linha de frente, ela é obesa, hipertensa e diabética. É viúva e mora com o filho, de 30 anos. Nenhum dos dois, até este momento, se infectou com a doença, mas o seu irmão caçula, um auxiliar de enfermagem de 44 anos, chegou a ficar internado por 20 dias. Antes de ser vacinada, Mônica chorou, emocionada, e agradeceu.

Mônica foi vacinada por Jéssica Pires de Camargo, 30 anos, enfermeira de Controle de Doenças e Mestre de Saúde Coletiva pela Santa Casa de São Paulo. Após ser vacinada, Mônica recebeu um selo simbólico onde estava escrito “Estou Vacinado pelo Butantan” e uma pulseira com a frase “Eu me Vacinei”.

Em entrevista coletiva, a enfermeira disse que está feliz por ter tomado a vacina. “Hoje fui a primeira a ser vacinada. E tenho muito orgulho disso, dessa grande oportunidade. E, como brasileira, eu falo, vamos nos vacinar! Não tenham medo. É isso que estamos precisando, que a gente estava esperando, a vacina, para a gente poder voltar à vida normal”.

“Chegou a grande chance do povo brasileiro. Não tenham medo. Sou pessoa comum, profissional da saúde.E estou [trabalhando] na pandemia há 10 meses, trabalhando incansavelmente em dois hospitais. Falo com segurança e propriedade: não tenham medo. É a grande chance que a gente tem de salvar mais vidas”, acrescentou.

Além de Mônica, o governo paulista também vacinou, antes da campanha nacional, uma indígena. Vanuzia Costa Santos, 50 anos, moradora da aldeia Filhos Dessa Terra, em Guarulhos, foi a primeira indígena vacinada do país. Vanuzia é técnica de enfermagem e assistente social e presidente do Conselho do Povo Kaimbé. Ela teve covid em maio, sentindo sintomas severos como dor no corpo, tosse, falta de ar e ausência de paladar e de olfato que persistem até hoje. “Fiquei muito feliz de participar desse momento. Sou defensora da vida, de outras vacinas, da prevenção, da saúde”, disse ela.

O Instituto Butantan tem 6 milhões de doses da vacina prontas para aplicação. Elas serão encaminhadas imediatamente para o Ministério da Saúde, para que seja então iniciada a campanha nacional.

O uso emergencial da CoronaVac foi avaliado hoje pela Anvisa e aprovado por diretores do órgão por unanimidade.

A vacina

governo paulista, por meio do Instituto Butantan, tem parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac para a produção da vacina CoronaVac. Por meio desse acordo, o governo paulista já vem recebendo doses da vacina. O acordo também prevê transferência de tecnologia para o Butantan, o que significa que o imunizante também será produzido no Brasil, na fábrica do Butantan. Essas doses foram depois adquiridas pelo Ministério da Saúde, que deve utilizá-las no Programa Nacional de Imunização.

Para uma vacina ser utilizada na população, ela passa por uma fase de estudos em laboratório, uma fase pré-clínica de testes em animais e três etapas clínicas de testes em voluntários humanos, que avaliam a produção de anticorpos, a sua segurança e a sua eficácia. Estudos de fases 1 e 2 da vacina, realizados na China, já haviam demonstrado que ela é segura, ou seja, não provoca efeitos colaterais graves. Estudo feito com voluntários no Brasil também comprovou que a vacina é segura.

Já os testes de eficácia, feitos no Brasil com voluntários da área da saúde, revelaram que ela tem 50,38% de eficácia, pouco acima do mínimo dos parâmetros mínimos exigidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A taxa mínima de eficácia recomendada é de 50% como parâmetro de proteção.

Produção

O governo de São Paulo já recebeu, da Sinovac, 10,8 milhões de doses da vacina. Desse total, 6 milhões de doses já estão prontas.Pelo termo de compromisso assinado no fim de setembro com a Sinovac, o Butantan vai receber um total de 46 milhões de doses da coronaVac. A vacina é aplicada em duas doses, com intervalo de 14 dias entre elas.

Notícias Relacionadas

Carro capota em Ilhota e duas pessoas são levadas ao Hospital

Um capotamento ocorrido por volta de 04hs da madrugada deste sábado na Rodovia Jorge Lacerda movimentou os Bombeiros Voluntários de Ilhota. O acidente envolveu um...

Postos de Saúde estarão abertos neste sábado para atualização de vacinas e atendimento de mulheres em alusão ao Outubro Rosa

O Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação 2021 ocorre neste sábado, das 8h às 17h, além disso, para as mulheres, haverá coleta de...

Jovem tem dedo prensado em máquina no Gasparinho

Mais um acidente de trabalho foi registrado em Gaspar nesta quinta-feira dia 14 de outubro, um jovem de 19 anos teve o seu dedo...
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas Notícias

Carro capota em Ilhota e duas pessoas são levadas ao Hospital

Um capotamento ocorrido por volta de 04hs da madrugada deste sábado na Rodovia Jorge Lacerda movimentou os Bombeiros Voluntários de Ilhota. O acidente envolveu um...

Postos de Saúde estarão abertos neste sábado para atualização de vacinas e atendimento de mulheres em alusão ao Outubro Rosa

O Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação 2021 ocorre neste sábado, das 8h às 17h, além disso, para as mulheres, haverá coleta de...

Jovem tem dedo prensado em máquina no Gasparinho

Mais um acidente de trabalho foi registrado em Gaspar nesta quinta-feira dia 14 de outubro, um jovem de 19 anos teve o seu dedo...

Coronavírus: 80% da população Gasparense já foi vacinada com pelo menos uma dose

Gaspar atingiu a marca de 80% da população adulta vacinada com, pelo menos, uma dose da vacina contra a COVID-19. Desses, mais de 60%...

Homem sofre queda de telhado e é levado ao Hospital de gaspar

Um homem de 60 anos de idade ficou ferido após sofrer uma queda de um telhado, tudo aconteceu na rua Frei Solano no Gasparinho...
Envie uma mensagem!
Envie uma mensagem!