Na tarde desta segunda-feira os policiais civis do Setor de Investigações e Capturas de Gaspar, deram cumprimento ao mandado de prisão preventiva pela prática do crime de estelionato contra uma mulher de 44 anos de idade, ela é acusada de ter aplicado diversos golpes na cidade de Gaspar se passando pelo advogado e atual vice-prefeito Marcelo de Souza Brick.

A mulher ao saber que pessoas necessitavam de assessoria jurídica, recomendava e encaminhava para as vítimas um suposto contato telefônico que seria de Marcelo, sendo que na verdade era ela quem realizava toda a conversa e negociação, onde prometia atuar em processos, bem como liberar presos, cobrando para isso, desde dinheiro, até materiais de construção e procedimentos capilares, conforme a capacidade econômica das vítimas.

Como não conseguia cumprir o combinado a autora bloqueava os contatos das vítimas e desaparecia com o dinheiro e bens recebidos. A feminina ainda tinha a audácia de falsificar, ainda que grosseiramente documentos judiciais, para transparecer veracidade em seus golpes. Segundo as investigações até o momento duas pessoas teriam caido no golpe da mulher.

Na casa da golpista, localizada no Bairro Margem Esquerda foram realizadas buscas e identificado o aparelho telefônico utilizado nos golpes, conforme apurado nas investigações.

Ainda conforme informações repassadas pelo Delegado Bruno Fernando da Comarca de Gaspar, o Vice-prefeito Marcelo Brick ao saber do golpe pelas vítimas que o procuraram presencialmente, veio até a delegacia de polícia e registrou boletim de ocorrência relatando que nunca autorizou a estelionatária a atuar em seu nome, muito menos a receber qualquer vantagem econômica, se mostrando surpreso com a utilização indevida do seu nome e sua imagem no golpe, o portal Paulo Flores tentou contado com advogado e Vice-prefeito de Gaspar porém até o fechamento desta publicação não obteve sucesso.

A mulher foi conduzida à Delegacia de Polícia de Gaspar para realização dos procedimentos de praxe, sendo posteriormente encaminhada ao Presídio de Itajaí, ficando à disposição do Poder Judiciário.