Nesta semana diversos moradores de Gaspar voltaram a usar as redes sociais para denunciar um crime que já afetou muita gente em nossa cidade, a clonagem do aplicativo Whatsapp.

A forma de agir dos criminosos neste tipo de golpe é sempre a mesma, de posse das conversas do aplicativo os golpistas começam a pedir dinheiro aos contatos da vítima com a promessa de devolução no mesmo dia ou então no dia seguinte, infelizmente muitas das vezes na inocência e por acreditarem que realmente estão falando com uma pessoa a qual elas conhecem os depósitos são feitos e é ai que o golpe está completo.

Embora seja um golpe que já vem sendo aplicado a um certo tempo na cidade, muitas pessoas ainda não sabem como se prevenir para manter suas conversas e contatos em segurança, veja como você deve agir para evitar ser vítima dos golpistas:

VERIFICAÇÃO EM DUAS ETAPAS

O próprio aplicativo Whatsapp oferece ferramentas para que você evite ter a conta clonada, para isso, abra o app, clique em “Ajustes”, depois em “Conta” e então ative “verificação em duas etapas”. A senha de seis dígitos será solicitada sempre que a conta for instalada em um novo aparelho, além de ser pedida com frequência no uso do aplicativo.

Não divulgue informações em redes sociais

Isso devia ser mais óbvio para a maioria das pessoas, mas infelizmente é comum ver muita gente divulgando seus dados em todo lugar. Isso inclui o número de telefone em várias redes sociais, como o Facebook, Twitter e Instagram.

Seja mais cuidadoso com isso, afinal o seu número de celular é uma das poucas informações necessárias para um possível ataque ou invasão da sua conta. É preferível que divulgue seu número com conhecidos de maneira privada e não publicamente.

Caso seu número de WhatsApp realmente precise ser público, como uma conta para negócios, você pode ainda fazer ajustes nas configurações do aplicativo para ajudá-lo a proteger minimamente. Seu número ainda será visível, porém outros elementos como sua foto, status e horário de último acesso não precisam ser.

Para fazer isso, siga os seguintes passos:

Passo 1: acesse as configurações do WhatsApp na tela principal, clicando no ícone de três pontinhos no canto direito superior da tela e clicando em Configurações.
Passo 2: no painel de configurações, acesse a opção Conta e então clique na opção Privacidade.
Passo 3: aqui, ajuste as opções de “Visto por último”, “Foto do perfil”, “Recado” e “Status” de acordo com suas preferências para evitar que pessoas que não estejam em seus contatos possam visualizar estes elementos.

Verifique se o app foi desconectado do seu smartphone
Felizmente, o WhatsApp só pode ser usado em um celular por vez. Por isso, é impossível que alguém use a sua conta em um smartphone sem que você fique sabendo.

Se alguém conseguir acesso a sua conta, o app será desconectado no seu próprio dispositivo. Se isso acontecer, você já deve ficar em alerta e tomar as medidas necessárias com o WhatsApp para desativar a conta.

Entretanto, vale lembrar que é possível utilizar o WhatsApp no navegador, através de seu recurso Web ao mesmo tempo que no smartphone, ou seja, se o hacker acessar pela Web, seu smartphone não será desconectado. Portanto, é importante ficar em alerta que este não deve ser o único indicador de que sua conta foi clonada.

Policia deve ser comunicada

A orientação da polícia Civil é nunca repassar dados vindos por mensagens para terceiros. Não é normal que empresas de comércio eletrônico entrem em contato com clientes via WhatsApp. Também fique atento com dados conflitantes nas mensagens recebidas. Nunca realize transações bancárias sem antes ter certeza de com quem está falando.

Se você teve o celular clonado, deve avisar aos familiares e amigos sobre o ocorrido o quanto antes, informando que não repassem dinheiro nem dados pessoais para os criminosos. Caso alguma pessoa tenha feito a transferência, comunique o banco pra que cancele a transação.

A vítima deve registrar um boletim de ocorrência na polícia Civil, informando todos os dados trocados com os criminosos e a lista de contatos, como contas bancárias e endereços.